…E o ano acabou!

Nessa época, além de pensar na cor que vamos usar na hora da virada, em pular sete ondas ou em quantas lentilhas comeremos pra ter sorte no ano que se apresenta, acho que todo mundo para um pouquinho e reflete. Pensa nos planos que fez há exatamente um ano atrás e se pergunta: o que mudou? Quanto disso realizei? Eu, particularmente, sempre penso e acho que todo mundo, de um jeito ou de outro, acaba pensando também. Porque pensamento é fogo!

Quando vem, não tem barulho de fogos à beira mar que os impeça de chegar.

Cada ano que chega é como uma coleção nova da grife particular da nossa vida. Gera expectativa, ansiedade, fazemos aquela aposta certa em determinados tons da estação e, às vezes, quando as peças ganham os holofotes da passarela, nos deparamos com aquela parcela de “mais do mesmo”, algumas surpresas boas, peças que odiamos e aquela tal aposta certa no amor pela cor fúcsia vira decepção e nos descobrimos apaixonadas pelo inusitado azul royal. E é exatamente isso que torna cada ano singular e especial, à sua maneira. Em 2017 não foi diferente. Um ano sem igual, de conquistas, descobertas, vitórias; um ano desafiador, de dualidades. Onde em meio a tantos caminhos e eventos tortuosos, se pensarmos direitinho, havia sempre uma estrada certinha a seguir, um ponto de luz em meio à escuridão ou um lugar seco pra se amparar da tempestade, por pior que fosse. Um ano cheio de aprendizado, de libertações. Conquistas pessoais, profissionais. Um ano de despertar.

Direcionamentos, mudanças de postura, atitudes. Um ano de edificação do eu interior.

Administrar nossa própria existência e tudo que flui entre o eixo cabeça e coração, não é tarefa fácil. E só se aprende na prática, amiga, no dia a dia. A vida não tem receita, script, roteiro ou poção mágica! É vivida ali, todo dia, cada um do seu jeito e na sua realidade e o que ela quer da gente mesmo é coragem. E isso, pode até parecer que não, mas temos de sobra!

Outro capítulo sempre especial em nossas vidas são as pessoas. Ah, as pessoas… Tantas pessoas especiais entraram em nossas vidas em 2017, outras solidificaram sua permanência e outras partiram. Aprendemos muito com cada uma delas. Até com aquelas que, por acaso, não nos fizeram lá tão bem. Crescemos. Amadurecemos. A cada pessoa que cruza nosso caminho, a cada aperto de mão, a cada olhar, a cada história de amor que se inicia ou se finda.

Aprendizado. Um ano de lições. As razões e explicações práticas do curso de tudo isso deixo que a vida responda usando o fascínio do amanhã que não conhecemos, que não nos pertence e que não nos cabe questionar, apenas viver. Isso, eu também aprendi, a duras penas, com lágrimas de um coração que, como todos, já padeceu de tristeza ou saudade. Nada mais humano, não é? Há também a falta daqueles que nos deixaram saudades eternas.

Daqueles que teremos que aprender a continuar a caminhada sem mais poder ver a alegria de um sorriso tão sincero e verdadeiro. Altos e baixos, idas e vindas, voltas, reviravoltas. Vivemos nossos dias permeados por nossos anjos e demônios internos, mas isso faz parte.

Apesar de tudo, 2017 foi um ano bom. Um ano que ficará marcado na memória, na história e em nossos corações como um capítulo que se encerra, numa saga poética repleta de batalhas, esperas, sonhos, conquistas, vitórias, amor, perdas e ganhos. Mas isso é viver! Viver a vida, a nossa vida. Aquecida pela fé em Deus, pelo amor à família, pelo carinho e amparo dos amigos, pelo desejo de crescer sob todos os aspectos e pelos sonhos que guardamos no peito…

Tudo isso faz com que acreditemos no amanhã. Eu acredito. E que venha!

Feliz Ano Novo a todos!

Vanna Sales Fernando

Be the first to comment on "…E o ano acabou!"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*