E se eu pudesse fazer diferente neste final de 2018?

Excelente dia caros leitores da Moda & Negócios! Para quem me conhece e vem acompanhando a nossa revista sabe que, tenho o costume de mixar comercial, marketing e moda com o intuito de levar informações úteis e práticas de uma forma simples. Tudo isso para que seja possível ser aplicado posteriori em seus negócios, uma vez comprovado por vocês mesmos a eficiência dos fatos e conhecimento aqui levantados.

Nesta edição eu quero trazer para vocês mais

informações sobre o funcionamento do cérebro humano e da mente humana, ressaltando o que a indústria da moda pode usar em seu favor visando entregar para seu mercado alvo mais do que produtos, uma experiência de compra e de vida.

Baseado em estudos e práticas, trabalhando com a cadeia têxtil desde 1988, nós da ArtZone aprendemos o que pode ser incorporado no atendimento ao cliente, desde o approach, a defesa, o convencimento, a venda e o pós-venda. Todos esses passos são imprescindíveis para gerar uma venda de qualidade e mais! Gerar relacionamento empresa X mercado!

Começando pelo approach, momento de posicionamento da sua empresa no mercado. Nessa hora é muito importante saber qual nicho e área específica sua empresa está atuando. Qual tipo de produto eu fabrico? Moda feminina? Moda Masculina? Moda unissex?

Para qual faixa etária eu desenvolvo o estilo do meu produto? Bebê? Infantil? Jovem? Jovem adulto? Adulto? Adulto meia idade? Terceira idade?

Para qual público eu fabrico? Despojados? Alternativos? Socialite? Hipster? Modismo? Patrício? Costume saudável? Viajantes? Festeiros? Família?

Perguntas deste tipo irão lhe ajudar a entender melhor como se comunicar com seu público e, ao se comunicar, ser notado e querido.

Estas informações são valiosíssimas para a construção de um produto com alto valor percebido. O aumento do valor percebido é capaz de elevar o ticket da sua venda, pois, dessa forma você consegue justificar melhor o porquê do valor total em dinheiro. Uma vez construída essa visão do que o seu público alvo quer, mais resultados você terá.

Bases para um approach eficiente: entenda os porquês e as motivações que levam aquele nicho em especial a se interessar por algo.

Só no Brasil há mais de 29mil empresas formalmente registradas no ramo de confecção. Estão compreendendo agora a importância de saber comunicar-se da forma correta?

Na segunda parte, a defesa, você deve explicar como seu produto é feito. Liste com congruência os porquês, para gerar conexão, o que levará aquele potencial comprador a acreditar que a sua oferta é melhor do que o do vizinho. Aqui entra o “como é o seu produto”.

Saiba que o consumidor de hoje em dia é crítico, antenado e possui um smartphone que possibilita a compra de basicamente qualquer produto, seja no Brasil ou no exterior.

Ou seja, ele só vai comprar de você dentro das duas alternativas:

– Seu produto é tão barato e estão precisando tanto comprar um produto parecido que, há uma chance de comprarem de você.

– Seu produto tem valor percebido e agregado, o comprador já pesquisou e avaliou que sua oferta é a que mais se encaixa no perfil dele. Com isso, ele vai se sentir a vontade de investir o dinheiro dele na sua empresa.

Qual das duas realidades acima você deseja para sua empresa?

Quando alguém compra algo de você, esse alguém está investindo em você. Saber disso faz toda diferença.

O próximo passo é o convencimento, que é feito apresentando o “o que”. O que é seu produto, descrever com detalhes a composição, os tamanhos, as cores, as estampas e etc.

Ao final, para converter esse processo em venda é importante disponibilizar facilidades para o seu cliente; app para celular, e-commerce, compra via whatsapp, via instagram ou facebook, compra física, sistema de entrega integrado com correios, cartão débito e crédito, dinheiro, boleto, transferência, etc…

Proporcione vantagens via pacotes e bônus “compre 2 e leve 3, compre um look de calça+blusa e ganhe um cinto”.

Faça conexões e gere possibilidades onde o seu cliente sinta que está levando mais do que ele está pagando.

Tenha sempre em mãos o cadastro do seu cliente e ou contato, para que você continue a relação após a venda e envie newsletter sobre novos produtos e promoções. Trace um perfil dele e faça a comunicação personalizada.

Fatos:

• Ser humano prefere comprar de quem ele conhece, confia, entende, é entendido, traz facilidades e comodidades.

• Ser humano compra com o lado emocional do cérebro e justifica com o lado racional.

• Ser humano prefere comprar de quem faz, por isso é importante descrever seus processos e deixar claro que ele está investindo em quem faz.

• Ser humano gosta de se sentir querido, então saiba como tratar seu cliente e gerar uma experiência de compra positiva.

• Ser humano gosta de se sentir pertencido, então saiba como fazer com que sua marca seja mais do que um produto e etiqueta, seja uma filosofia de vida e que as pessoas se associem a você porque acreditam no que sua empresa traz e faz pelo mercado.

• Ser humano só compra se compreender o valor percebido do produto.

• Ser humano só compra se ele sentir que está levando pra casa mais do que ele está pagando.

Seja uma empresa que faz a diferença na vida do próximo, não somente que vende produtos.

O mundo está cheio de vendedores de produtos, seja diferente, se destaque e agregue valor na vida de quem compra da sua empresa, seja humano.

Se interessou pela matéria? Quer saber mais? Entra em contato comigo e terei o maior prazer em poder contribuir com você leitor da revista Moda & Negócios. Contem comigo! Desejo sucesso e que o final de ano de 2018 seja ainda melhor do que 2017.

Pedro Dupláa S. Ferreira

Empresário Internacional Coach Integral Sistêmico

Be the first to comment on "E se eu pudesse fazer diferente neste final de 2018?"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*