Fisioterapia em MASTECTOMIA

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres, correspondendo a cerca de 25% dos novos casos a cada ano, de acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer). Ainda de acordo com o INCA a estimativa é de 57.960 novos casos de câncer de mama para 2016. Ao ser diagnosticada, a mulher, dependendo do caso, será submetida a tratamentos como quimioterapia, radioterapia e a mastectomia. A Mastectomia é uma cirurgia da retirada da mama utilizada para o tratamento do câncer de mama. Atualmente a Mastectomia radical modificada é a mais utilizada, onde teremos a retirada da glândula mamária e a linfandectomia axilar, porém com a preservação de um ou dois músculos peitorais.

A fisioterapia atua independente do tipo de cirurgia da mama e em todas as fases (pré-tratamento, durante o tratamento, após o tratamento, em casos de recidiva da doença e nos cuidados paliativos), promovendo uma recuperação das funções do braço, prevenir e/ ou diminuir as complicações e consequentemente melhorar a qualidade de vida das pacientes acometidas. Cada fase irá trazer suas necessidades, sintomas e alterações nas atividades de vida de cada paciente, onde o profissional fisioterapeuta irá atuar.

No pré-operatório o fisioterapeuta tem como objetivo identificar quais são as alterações já existentes na paciente e também possíveis fatores de risco para complicações no pós -operatório. Tirar dúvidas e orientar sobre cuidados com o braço e sobre as modificações que a cirurgia trará para a sua vida, para evitar ao máximo complicações no pós-operatório. No pós-operatório existe uma dificuldade de movimentação do braço acometido, com a dor e com as alterações de sensibilidade que a paciente possa ter. Aqui a paciente se torna mais dependente de terceiros para suas atividades diárias. A formação de Linfedema (inchaço no braço ao lado da mama, devido a retirada dos gânglios linfáticos que drenavam um liquido chamado linfa existente em nosso corpo), aderências, fibroses e alterações respiratórias também são comuns nessa fase, por isso se faz tão importante a entrada imediata do fisioterapeuta, ou seja, logo após a cirurgia, onde poderemos trabalhar com a respiração e prevenir e/ ou minimizar complicações com orientações. Após a retirada dos pontos, de acordo com as limitações apresentadas pela paciente podem ser realizados exercícios para movimentação do braço, Linfoterapia (drenagem linfática manual, técnica de enfaixamento, exercícios linfocinéticos, cuidados com a pele, orientações de autocuidados, uso de compressões elásticas, tais como luva, braçadeiras, meias e linfotaping);

A reabilitação precoce após a retirada da mama só traz benefícios para o paciente, por isso é importante sua divulgação. Procure por um profissional capacitado. Curiosidade: O câncer de mama não acomete apenas as mulheres, mas os homens também, porém nos caso dos homens é algo raro, apresentando apenas 1% do total de casos da doença.

 

Thaisa Batista Pereira Silva

Bacharel em Fisioterapia; Especialista em Fisioterapia Dermato Funcional e Cosmetologia; Especialista no método de Linfotaping e em Fisioterapia Pélvica; Responsável pelo setor de Fisioterapia Pélvica na Clínica Multifisio.

Be the first to comment on "Fisioterapia em MASTECTOMIA"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*