Microfones abertos para a trajetória do rádio em caruaru

A história do rádio em Caruaru tem 70 anos de uma marca indelével em nossa sociedade. Quando em 06/09/1951 o empresário Francisco Pessoa de Queiroz instalou a Rádio Difusora de Caruaru, em suntuoso prédio existente até hoje na Avenida Agamenon Magalhães, ele lançava a semente da radiofonia no interior de Pernambuco, e oferecia à Princesa do Agreste os equipamentos e cenário onde iriam ser revelados grandes nomes da comunicação, mais do que locutores, também cantores, compositores, músicos, declamadores, noticiaristas, cronistas esportivos e toda uma leva de brilhantes profissionais. Em agosto de 1958, Jaime Mendonça levava ao ar o sinal AM da Rádio Cultura do Nordeste.

Posteriormente em 05/11/1965 surgiu o terceiro prefixo em Caruaru, a Rádio Liberdade AM, um empreendimento do comerciante Luiz Lacerda. Em 1980 a Rádio Liberdade foi a pioneira no prefixo FM no agreste.

Falar sobre rádio é algo muito prazeroso. Quando os fatos acontecem, o rádio noticia primeiro. Em muitos casos, se antecipa aos próprios acontecimentos. Nessa era de várias mídias digitais, todas elas têm como matriz – inegavelmente – o rádio em seu formato técnico. Foi a invenção de criadores como Guglielmo Marconi e Rudolf Hertz que romperam as fronteiras da comunicação no mundo todo. Foi no rádio que o teatro virou radionovela. E foi a partir do rádio que se produziu a televisão. Na era digital, o sinal FM ocupa espaço nos smartphones, e toma alcance mundial. É o rádio que se torna parceiro da internet e rompe as últimas fronteiras conhecidas pelo homem.

Aqui em Caruaru, várias personalidades trilharam os caminhos da seara fascinante do rádio. Não vou citar nomes para não ser injusto de deixar alguém de fora da lista.

Fatos engraçados, desafios superados, campanhas humanitárias, disputas po – líticas, entrevistas históricas… todos os temas têm lugar na memória dos nossos operadores técnicos, locutores e ouvintes.

Em 70 anos de avanços na Capital do Agreste num processo percorrido do mono ao digital, o rádio é veículo de comunicação que transmite o som, a notícia, o futebol, o jogo do bicho, a missa, e muitas vezes, o companheiro único que afugenta a solidão, levando uma palavra de consolo, de paz, de esperança. Essa é a magia primeira que o microfone nos pro – põe: companheirismo em todas as horas e em qualquer lugar!

O rádio é aquela caixa mágica que – mais do que palavras – transmite emoções, e pelos ouvidos, chega na alma das pessoas.

Presenteando a sociedade, Caruaru recebeu em 2015 o curso de Comunicação Social pela UFPE, no Campus Acadêmico do Agreste. Um avanço significativo para novos horizontes. Aplausos aos que se foram, boas-vindas aos que chegam… micro – fones abertos para a boa comunicação!

José Urbano

Prof. de história, palestrante, cordelista, radialista, técnico em educação. @joseurbano_

1 Comment on "Microfones abertos para a trajetória do rádio em caruaru"

  1. Excelente matéria. Aliás, igual as de sempre.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*