O Brasil Caminha Para Sair de Moda

Cheguei a sugerir neste espaço que o Presidente Temer poderia chegar ao processo eleitoral em condições de influir na sua própria sucessão, quem sabe até estar no leque de candidatos. Não funcionou.

Após um início promissor, botando ordem numa casa que para ser arrumada deveria levar um governo inteiro ou mais, veio a derrocada. O governo perdeu a elegância e o bom gosto. Temer foi derrotado pela impopularidade congênita do seu governo e por uma comunicação pífia e desencontrada. Também se deixou apanhar como um patinho numa armadilha de terceira categoria e na sequência não conseguiu reagir à conspiração, montada dentro do mais alto escalão do Ministério Público Federal.

Sempre achei que tinha podre na história. Agora, está claro que tinha mesmo. A denúncia sobre aquela armação já foi até acolhida pelo STF. Diante das provas contundentes, duvido que os conspiradores consigam se safar. Mas o estrago está feito. As denúncias para tentar concretizar o slogan “Fora Temer” não deram em nada. Porém tiraram a força política do governo para avançar com os seus planos de reformas. Necessárias. O próximo presidente, seja quem for, vai ter que se abraçar com elas.

O país está perdendo tempo, aumentando a conta a ser paga adiante. Paciência. Como se tudo isso não bastasse, a Polícia Federal arrasta um interminável inquérito, mantendo Temer no canto da parede. Para coroar tudo isso veio a paralização sabotadora dos caminhoneiros, apoiada por uma parcela kamikaze da classe média. Foi a gota d’água para a reversão do processo.

A economia que tinha se descolado da pauta política, voltou a se sintonizar com ela. E os efeitos vieram rápidos: queda da atividade econômica, paralização dos investimentos estrangeiros, perspectivas sombrias para o PIB e consequentemente para o nível do emprego. A melancólica reta final do governo, que se prenuncia, não favoreceu até aqui a clareza do debate político e muito menos a apresentação de propostas para tirar o país do atoleiro. Nenhum pré-candidato disse até agora o que pretende fazer na economia. Nenhum falou ainda sobre as reformas que vai propor ao Congresso e quais os limites de cada uma.

Nenhum apresentou um plano estratégico para o país. Ou a sociedade exige outra atitude dos postulantes à Presidência, com clareza de projetos e compromissos, ou depois das eleições vai continuar tudo como dantes no quartel de Abrantes, para usar uma expressão arcaica e bem fora de uso. Com risco de o Brasil sair de moda no cenário internacional e, ainda por cima, continuar a sofrer grandes perdas de negócios, desculpem o trocadilho.

José Nivaldo Junior

Publicitário. Historiador. Especialista em Comunicação Política. Da Academia Pernambucana de Letras

Be the first to comment on "O Brasil Caminha Para Sair de Moda"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*