Páscoa e Seus Significados

Páscoa significa literalmente “passagem” (pois o Senhor “passou” sobre as casas dos filhos de Israel, poupando -os (Ex 12:27). É uma FESTA instituída por Deus como um memorial para que os filhos de Israel jamais se esquecessem que foram escravos no Egito, e que o próprio Deus os libertou com mão poderosa.

A comemoração da Páscoa pelos antigos judeus

Segundo o Capítulo 12 do Êxodo Páscoa deveria ser celebrada com um jantar familiar, onde um Cordeiro seria assado e comido por todos. O jantar também deveria ter o pão asmo ou, sem fermento, e ervas amargas. O pão sem fermento ajudaria a lembrar que na noite da Páscoa no Egito, se comeria às pressas e o pão não teve tempo de fermentar. As ervas amargas lembravam de como a vida era amarga quando eram escravos de Faraó. Por volta do ano 550 a.C., os judeus criaram uma sequência para o jantar (chamada de Hagadá), que incluía o relato do Êxodo, os 4 cálices de vinho e o Charosset (pasta doce). A intenção do mandamento era que todos os membros da família participassem das narrativas e da liturgia, e que a festa fosse uma ferramenta didática para se ensinar às crianças sobre como o Senhor os libertou com mão forte do Egito. Jesus, quando celebrou seu último jantar de Páscoa com os discípulos, seguiu exatamente a tradição judaica vigente em sua época e até os dias de hoje.

A Páscoa Cristã, oficializada pelos pais da Igreja Católica no séc IV d.C., foi instituída com o intuito de substituir a Páscoa celebrada por Jesus e pela Igreja até então. Nos países de língua anglo-saxônica a páscoa cristã é conhecida como “Easter”, mas nos países de língua latina a palavra “Páscoa” foi mantida como uma transliteração da palavra “Pêssach”, em hebraico). O nome “Easter” é proveniente de uma festividade de primavera celebrada por Assírios, Babilônios e posteriormente Celtas, em adoração a deusa Ishtar (ou Oeste no mundo nórdico). Esta era a deusa da fertilidade, daí ovos e coelhos eram usados como simbolismos.

A história da Páscoa encontra-se no Velho Testamento da Bíblia, no livro Êxodo. A Páscoa Judaica também está relacionada com a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, onde liderados por Moises, fugiram do Egito.

A Páscoa entre os cristãos

Entre os primeiros cristãos, esta data celebrava a ressurreição de Jesus Cristo (quando, após a morte, sua alma voltou a se unir ao seu corpo). O festejo era realizado no domingo seguinte a lua cheia posterior ao equinócio da Primavera (21 de março). Entre os cristãos, a semana anterior à Páscoa é considerada como Semana Santa. Esta semana tem início no Domingo de Ramos que marca a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém.

A História do coelhinho da Páscoa e os ovos

A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egito Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.

José Severino do Carmo
Editor

Be the first to comment on "Páscoa e Seus Significados"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*