Publicidade, o pão nosso de cada dia

Este dia 30 de maio poderia passar desapercebido por muitos, mas como colunista da revista Modas & Negócios, não ficaria conscientemente tranquilo, se não fizesse essa humilde homenagem ao quinto aniversário de sua criação.

Nossa homenagem vai também para José Severino do Carmo, seu fundador, publicitário de renome e de amplo espectro de conhecimento da área, com relevantes trabalhos prestados à sociedade pernambucana. Omitirei citações a respeito de sua trajetória profissional por ser demais conhecida e por demais extensa para as limitações desse arrazoado.

Não poderia deixar de me reportar à inquietude de algumas pessoas que chegam a questionar: “Para quê serve mesmo a publicidade?” Ora, entendemos que publicidade, grosso modo, é a estratégia que envolve a divulgação de um produto, serviço ou marca, com o objetivo de atingir um público -alvo, convencendo-o a comprá-lo.

Lembremos também que o advento da revolução digital já suscitou incontáveis profecias ao longo dos tempos, dando como certa a extinção de certas mídias, a exemplo das revistas impressas, por conta do advento e sucesso de tecnologias do mundo virtual, as quais revolucionaram até a forma de nos comunicarmos.

Vale ressalvar, marketing e publicidade não são a mesma coisa, embora tanto uma como a outra tenham como finalidade vender um produto ou serviço. Mas deixemos cada macaco no seu galho. Por isso, preço, praça, produto e promoção são os elementos básicos de uma estratégia de marketing. Portanto, a publicidade tem como foco convencer o indivíduo a comprar. Uma boa publicidade amplia a divulgação da marca e do produto e está diretamente ligada à alavancagem das vendas.

Sua emergência e relevância deram origem a uma nova era editorial – fato incontestável. Mas não nos enganemos. As mídias impressas não estão obsoletas ou fora do páreo nesse mundo digital. Estão, na verdade, longe da extinção. Pelo contrário, a indústria gráfica tem inovado cada vez mais nos últimos anos.

Segundo o presidente da ANER (Associação Nacional de Editores de Revistas), Fábio Petrossi Gallo, a publicidade impressa ainda tem seu lugar no mercado. Em 2018, o Facebook lançou uma revista impressa exclusiva para empreendedores, a Grow, destinada a classe executiva e a líderes empresariais. Ainda bem que jovens, sobretudo na Europa e Estados Unidos, não deixam seus smartphones de lado, nem abandonam suas vidas digitais. Mas certamente sabem que a vida não é só consumida na telinha do aparelho. Ou seja, a combinação dos dois mundos parece ser um caminho cada vez mais provável.

Segundo Victor Eskenazi, embora hoje o marketing digital ocupe boa parcela do mercado, compreendemos que uma estratégia não precisa e não deve anular a outra. É preciso buscar a integração entre as duas modalidades” O marketing impresso, em sua vertente mais tradicional, por muito tempo foi a receita de sucesso para diversos tipos de empreendimento.

Para encerramos, deixemos aqui um dos provérbios por demais conhecido: a “propaganda é a alma do negócio”. Embora a máxima seja verdadeira, é preciso considerar que a propaganda eficiente e de efeitos duradouros é algo contínuo e envolve muito mais do que comerciais e anúncios.

Agildo Galdino Ferreira

Membro da Academia Caruaruense de Cultura, Ciência e Letra.

Be the first to comment on "Publicidade, o pão nosso de cada dia"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*