Salão do Automóvel perde mais de dez montadoras em 20202020

De 38 marcas que estiveram em edições passadas, 13 já anunciaram que não participam este ano; em 2018 apenas
cinco saíram.

O Salão Internacional do Automóvel de São Paulo chega aos 60 anos na edição de 2020, alcançando um marco a celebrar. No entanto, as comemorações tendem a ficar um pouco de lado por enquanto. Tomando como base as 38 marcas que estiveram nas edições 2014, 2016 /ou 2018 (média de 30 a cada edição), 13 anunciaram que não vão participar do evento em 2020 – mais do que o dobro de desistências de 2018. BMW, Chevrolet, Citroën, Hyundai Motor Brasil, Jaguar Land Rover, Lexus, Lifan, Mini, Mitsubishi Motors, Peugeot, Suzuki e Toyota e Volvo estão fora da edição. A decisão não é definitiva e será reavaliada a cada novo evento. Em nota, a Volvo Cars explica que prioriza eventos proprietários da marca e mantém a sua posição estratégica desde sua última participação no Salão do Automóvel de 2014. “Seguimos, desde então, promovendo experiências inéditas e exclusivas a nossos clientes”, afirma. Em comunicado, a Hyundai Motor Brasil comentou que a estratégia global vem valorizando, desde 2019, eventos com formatos diferenciados e foco maior no ser humano, proporcionando um “engajamento mais exclusivo com seus clientes e públicos interessados”. “Avaliamos bastante a situação aqui no Brasil e decidimos substituir a
participação no Salão do Automóvel por outras atividades mais exclusivas ao longo do ano”, indica Angel Martinez, vice-presidente comercial. Confirmadas, por enquanto, estão Dodge, Fiat, Ford, Jeep, Nissan, Ram, Renault,
Troller e Volkswagen. Audi, CAOA Chery, CAOA Hyundai, CAOA Subaru, Honda, Kia Motors, Ferrari,
Lamborghini, Maserati, Porsche e Rolls-Royce estão estudando as possibilidades e devem definir em breve.
A reportagem aguarda a resposta de Chrysler e Mercedes-Benz. Não conseguimos contato com Jac Motors.
A Ducati, empresa de motocicletas que faz parte do Grupo Volkswagen (Audi, Porsche e Volkswagen), participou em algumas edições em parceria com a Audi. Para a Ducati só faz sentido participar com exposição de produto nos estandes das empresas do grupo, “por isso a participação da marca está atrelada à decisão” do mesmo. Breve histórico a saída de montadoras do evento não começou este ano. Peugeot, Citroën, Jaguar Land Rover já não estiveram em 2018, enquanto Jac Motors e Volvo deixaram de participar em 2016.O PROPMARK apurou que os valores para participar vão de R$ 5 milhões a aproximadamente R$ 20 mi, mas pode passar. Além dos altos custos, a mudança do comportamento do consumidor gerou outras demandas das empresas. Melhor informado, o consumidor tem à disposição diversas outras formas de conhecer e de interagir com o automóvel. Outro ponto que influencia nessa saída é a possibilidade de experimentar em outros eventos, sejam eles menores, proprietários, customizados, regionalizados ou com mais apelo a temas como tecnologia. Salão do Automóvel 2018 recebeu 742 mil pessoas, reuniu 30 marcas e teve 45 mil tests drives Jéssica Oliveira é Jornalista formada pela PUC-SP. Em 10 anos de carreira, soma experiência como produtora, social media, assessora de imprensa e pesquisadora para
publicidade e televisão. Como repórter, cobriu mídia, cultura, entretenimento e educação. No PROPMARK, produz conteúdo para impresso, site, redes sociais e podcast.

Be the first to comment on "Salão do Automóvel perde mais de dez montadoras em 20202020"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*